segunda-feira, 30 de maio de 2016

Germe brasileiro

deixe que brote
que germine
em terras germânicas
o germe dos trópicos
e leve ao frio
o calor destas terras
nosso germe
nosso jeito Brasil

domingo, 29 de maio de 2016

Recomeço

começar é fácil
o novo é sempre bom
por mais que possa ser também estranho
recomeçar é o desafio
é fazer de novo o que não deu certo
mas que no fundo deu, por que, se não,
pra que recomeçar?
recomeçar é buscar o gosto da novidade
o prazer das horas jogadas fora
e que foram as melhores
recomeçar é ter humildade
e uma só certeza
se já foi bom, pode ser de novo
só preciso ser o mesmo eu
que um dia brilhou nos seus olhos

sábado, 28 de maio de 2016

Lua de Pira

vela a lua branca
ao som do rio que chora
na face o brilho me olha
bela nua me encanta

O tempo

o tempo some
nos deveres
o tempo come
nossos quereres


o tempo voa
no dia a dia corrido
o tempo soa
cruel sem você, castigo


o tempo arde
não somos os mesmos
o tempo é tarde
crescem os medos


o tempo escancara
a vida passa
o tempo para
para
por nós


ainda há tempo
hoje é tempo

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Desalento

ratos fogem para o esgoto
aquele que escorre
viscoso
pela grande tela
mas há uma segunda
esparramada por nossas mãos
que permite outra voz
outras vozes
o contraditório
a pluralidade
e lá disputa-se até o fim
e acredita-se que é possível
lutar sempre
por algo melhor
mesmo quando o pior
se avizinha
e os ratos comemoram

domingo, 27 de março de 2016

Fernando

Fernando Sabino me deixa triste

foi o que eu queria
sou o que não quero.

sonhos jovens vêm à mente
irrealizados

há tempo?
quem sabe?

o começo é sempre  um fim
a noite acaba no primeiro brinde do novo dia

não sou Fernando
nem serei
quero ser eu
mas nem isso me sei

Menina da tarde

a menina da tarde oferece na esquina amor e carinho
espera com paciência o príncipe que vai um dia tirá-la do sol
passa a tarde esperando
à noite desaparece
em outras esquinas labuta o pão do dia seguinte
oferece amor e carinho
mas só lhe pede a urgência da carne

quem também busca, sem saber, um colo de afeto

Capricho

há lugares
há tempos
há histórias
há duas vidas


há o capricho
que escolheu
duas vidas
no mesmo tempo
no mesmo lugar


sorte minha
estar lá
naquele dia


jamais esperava
que o destino
fosse comigo
tão caprichoso

O tempo

o relógio não tem mais ponteiros
a folhinha, acredite, não é de papel
horas e dias vão embora
acelerados na tecnologia
mas a angústia da espera,
esta sim, continua a mesma
ansioso espero o tempo
este silencioso e decidido senhor
trazer-me de volta
quem se foi
mas um pedaço em mim deixou

sábado, 26 de março de 2016

Cinco minutos

1. Vamos? Vamos! O corpo na cama, saia levantada, calcinha de lado.
2. Movimentos nervosos. Pressa. Prazer.
3. O corpo treme. Contorce. Um gemido foge sem controle.
4. Calcinha no lugar, saia ajeitada. Beijo apressado. Olhar de cumplicidade.
5. Vai ao trabalho. Linda, gozada e feliz.