sexta-feira, 3 de junho de 2016

Se meu menino voasse

e se de repente meu menino voasse?
se o chão sumisse aos seus pés
e a liberdade lhe tomasse a cabeça?
se a alegria fosse simples, como de fato é?
e a vida se tornasse uma infinidade de pedaladas?
se o mundo naquele momento ficasse pra trás?
porque a vida vem logo adiante
se o sol fosse seu único farol
e se mais nada importasse
porque o que importa somos nós
naquele sublime momento
em que o vi voando
em sua bicicletinha
feliz por viver
por pedalar
e atrás vinha um pai
feliz

porque estava lá

Cidade das andorinhas

No meio do parque
na cidade das andorinhas
todos olham admirados
as luzes do drone lá em cima
o zum zum sobre as cabeças curiosas


Eu também fiquei olhando
o brinquedinho de adulto
porém me surpreendeu mais
e mais feliz fiquei
com a revoada silenciosa
que resiste aos fetiches
deste século digital


Voem andorinhas
esta cidade grande é de vocês

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Você Eu

Você longe
Eu perto
Você dorme
Eu desperto
Você foge
Eu acerto
Você morde
Eu atravesso
Você onde
Eu começo
Você esconde
Eu descoberto
Você horizonte
Eu deserto
Você explode
Eu quieto
Você sacode
Universo

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Traição

o tempo todo
um tanto trai
o corpo cândido
um cristal cai


o olho observa
um ódio original
o beijo na boca
uma bala boçal


a vida vacila
um vento violenta
a morte maldita
que a mão movimenta

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Germe brasileiro

deixe que brote
que germine
em terras germânicas
o germe dos trópicos
e leve ao frio
o calor destas terras
nosso germe
nosso jeito Brasil

domingo, 29 de maio de 2016

Recomeço

começar é fácil
o novo é sempre bom
por mais que possa ser também estranho
recomeçar é o desafio
é fazer de novo o que não deu certo
mas que no fundo deu, por que, se não,
pra que recomeçar?
recomeçar é buscar o gosto da novidade
o prazer das horas jogadas fora
e que foram as melhores
recomeçar é ter humildade
e uma só certeza
se já foi bom, pode ser de novo
só preciso ser o mesmo eu
que um dia brilhou nos seus olhos

sábado, 28 de maio de 2016

Lua de Pira

vela a lua branca
ao som do rio que chora
na face o brilho me olha
bela nua me encanta

O tempo

o tempo some
nos deveres
o tempo come
nossos quereres


o tempo voa
no dia a dia corrido
o tempo soa
cruel sem você, castigo


o tempo arde
não somos os mesmos
o tempo é tarde
crescem os medos


o tempo escancara
a vida passa
o tempo para
para
por nós


ainda há tempo
hoje é tempo

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Desalento

ratos fogem para o esgoto
aquele que escorre
viscoso
pela grande tela
mas há uma segunda
esparramada por nossas mãos
que permite outra voz
outras vozes
o contraditório
a pluralidade
e lá disputa-se até o fim
e acredita-se que é possível
lutar sempre
por algo melhor
mesmo quando o pior
se avizinha
e os ratos comemoram

domingo, 27 de março de 2016

Fernando

Fernando Sabino me deixa triste

foi o que eu queria
sou o que não quero.

sonhos jovens vêm à mente
irrealizados

há tempo?
quem sabe?

o começo é sempre  um fim
a noite acaba no primeiro brinde do novo dia

não sou Fernando
nem serei
quero ser eu
mas nem isso me sei