terça-feira, 15 de julho de 2014

Saudade

Saudade não se define pelo tempo
Não se calcula pela distância
Se assim fosse, como explicar 
o aperto no coração apaixonado 
quando você se levanta da cama 
e penteia os cabelos 
em frente ao espelho do banheiro
o que me faz ir ao seu encontro
abracar-lhe forte
como se estivesse por muito tempo longe? 
Saudade se mede pela intensidade do desejo 
de quem se quer por perto
Sempre

sábado, 12 de julho de 2014

No tempo

Ao rever o tempo
Não sinta as dores q lhe causei
Não sinta a angústia da espera
Não sinta as horas tristes de volta 

Ao olhar atrás
Sinta a leveza da alma
O peso do corpo
A poesia de Caetano

Olhe atrás
Mas veja-me à sua frente
Mãos estendidas
Como antes

Veja-me o tempo que for
Como num abraço doído 
Num beijo infinito no prazer
No olhar meu que é seu

sexta-feira, 11 de julho de 2014

quinta-feira, 10 de julho de 2014

39

Para sentir
Para pedir
Para partir

Para amar
Para beijar
Para deitar

Para viver
Para perder
Para reler

Para bulir
Para subir
Para fluir

Para flutuar
Para devorar 
Para lambuzar

Para escrever
Para reviver
Para conhecer

Para dirigir
Para inibir
Para existir

Para gostar
Para gritar
Para gozar

Para lamber
Para morder
Para foder

Para despir
Para curtir
Para dormir

Para dar
Para doar 
Para mar

Para ver
Para ter
Para ser

Para vir
Para ir
Paraty 

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Viver

Viver
verbo intransitivo 
existir
gozar a vida
amar como essência 
experiência de um sentimento
dar-se ao luxo de ser
de doar-se 
dar-se a outro
e a si. 
Viver
em Glória

terça-feira, 8 de julho de 2014

Saudades sem passado

A dor do passado,
não o vivido,
mas o imaginado,
era pior que o presente.
Este, por mais saudades que trouxesse, 
não era tão ruim.
Na verdade 
é bom.
Pois o intervalo valoriza o que é vivido
como o rápido chiado do antigo LP 
que marca suavemente o fim de uma música e o começo da nova. 
A lembrança do que não viveu
daquilo em que estava de fora
era a pior sensação. 
Doía o peito pelo não vivido. 
a mente tomada por pensamentos sofridos
inveja pela alegria que não foi sua.
Tentava em vão recuperar os bons momentos há pouco passados
mas só lhe vinha o ciúme. 
Só mesmo a presença muda isso e dá novo sentido ao presente
É a nova música tocando na velha vitrola 

segunda-feira, 7 de julho de 2014