quinta-feira, 14 de abril de 2016

Desalento

ratos fogem para o esgoto
aquele que escorre
viscoso
pela grande tela
mas há uma segunda
esparramada por nossas mãos
que permite outra voz
outras vozes
o contraditório
a pluralidade
e lá disputa-se até o fim
e acredita-se que é possível
lutar sempre
por algo melhor
mesmo quando o pior
se avizinha
e os ratos comemoram

domingo, 27 de março de 2016

Fernando

Fernando Sabino me deixa triste

foi o que eu queria
sou o que não quero.

sonhos jovens vêm à mente
irrealizados

há tempo?
quem sabe?

o começo é sempre  um fim
a noite acaba no primeiro brinde do novo dia

não sou Fernando
nem serei
quero ser eu
mas nem isso me sei

Menina da tarde

a menina da tarde oferece na esquina amor e carinho
espera com paciência o príncipe que vai um dia tirá-la do sol
passa a tarde esperando
à noite desaparece
em outras esquinas labuta o pão do dia seguinte
oferece amor e carinho
mas só lhe pede a urgência da carne

quem também busca, sem saber, um colo de afeto

Capricho

há lugares
há tempos
há histórias
há duas vidas


há o capricho
que escolheu
duas vidas
no mesmo tempo
no mesmo lugar


sorte minha
estar lá
naquele dia


jamais esperava
que o destino
fosse comigo
tão caprichoso

O tempo

o relógio não tem mais ponteiros
a folhinha, acredite, não é de papel
horas e dias vão embora
acelerados na tecnologia
mas a angústia da espera,
esta sim, continua a mesma
ansioso espero o tempo
este silencioso e decidido senhor
trazer-me de volta
quem se foi
mas um pedaço em mim deixou

sábado, 26 de março de 2016

Cinco minutos

1. Vamos? Vamos! O corpo na cama, saia levantada, calcinha de lado.
2. Movimentos nervosos. Pressa. Prazer.
3. O corpo treme. Contorce. Um gemido foge sem controle.
4. Calcinha no lugar, saia ajeitada. Beijo apressado. Olhar de cumplicidade.
5. Vai ao trabalho. Linda, gozada e feliz.

Girassol

Não é à toa que seu nome

está no girassol
Sigo-lhe o dia todo
nos voos do meu pensar
nas delicias do meu sentir
nas loucuras, sonhar

Girassol
Giramundo
Giravida
Giratudo

Giragira
Giragloria

Gira-me por inteiro
faça-me outro e eu mesmo
esse sol eu busco,
e se lhe encontro, me faço

Sigo meu sol
um metro e setenta e cinco de sol
sigo meu norte
onde me perco

Girassol
Giramundo
Giravida
Giratudo

Giragira

Giragloria

Tempos difíceis

Vivemos um presente bárbaro
pregam um futuro justo
feito das injustiças do passado

Minha casa

Minha casa não é feita de quatro paredes.

Se fosse, desmonaria fácil.
Minha casa é construída de sensações, sonhos e desejos.


Casa é cheiro de comida gostosa
chão encerado
vento pela janela.


Criança correndo
rádio tocando
vida valendo.


Minha casa é risada na cozinha
carinho na sala
volúpia no quarto.


Minha casa é alegria da chegada
dor da partida
choro de solidão.


Minha casa sou eu
é você.

Somos nós.

terça-feira, 8 de março de 2016

Mulher

Deixe meu corpo
o que o faz pensar que é seu?
o que o leva a levantar-se contra mim
e contra aquilo que sou?
Sou Mulher
Sou Eva
Sou Maria
Não será a mão bruta que sobre mim cairá
Minha pele será tocada pelos dedos leves e carinhosos
de meu amor
não deste algoz em que você se tornou
Afaste-se.
Meu corpo é meu
é luz e alegria
jamais será ódio e rancor trazidos por você
Meu corpo é meu e de quem souber amá-lo