sábado, 5 de fevereiro de 2005

Feriado é Dia Santo



Lá em Minas, dia santo vale mais que feriado. Na prefeitura, no banco, é no feriado que ninguém trabalha. Mas quando é dia santo, o pessoal da roça cruza os braços e guarda a data. Ninguém trabalha em respeito ao santo.

É uma tradição que resiste parcialmente. Aos poucos as novas gerações mudam os costumes e o dia santo pode, qualquer dia destes, perder o sentido.

Mas por aqui na cidade grande, o que perde mesmo o sentido é o feriado. Dia santo aqui ninguém mais lembra, mesmo. Mas feriado vai acabar em desuso. O comércio, ávido por vender mais e aproveitar o dia em que o trabalhador pode ir com calma até as lojas, quer abrir as portas no feriado.

Já pensou se a moda pega? Se todo patrão resolve convocar seus funcionários para trabalhar no feriado, e depois no sábado, e depois no domingo? Pode até pagar hora extra, que é o mínimo que se espera, mas onde vamos parar? O industriário pode descobrir que parar no feriado e final de semana é deixar máquinas caras ociosas. Precisam trabalhar mais para reduzir custos. O prestador de serviços pode querer aproveitar o feriado para fazer serviço a quem só pode procurá-lo no dia de folga. E por aí vai...

Vai acabar o feriado. Todo mundo vai trabalhar no dia em que era pra todo mundo descansar. O patrão preocupado em lucrar mais. O empregado em garantir o emprego e em alguns casos ganhar umas horas extras.

Aí vai ser engraçado. Todo mundo trabalhando no feriado por que é o dia em que mais gente pode comprar, pode gastar. Mas o público não vai aparecer. Porque todo mundo vai ter que trabalhar.

Alguém vai ter que inventar um dia em que é proibido pensar em dinheiro. Proibido ganhar ou gastar. Proibido lucrar ou perder. Proibido trabalhar.

Vai ser um dia santo.

Este texto eu fiz no final de 2003, quando o sindicato dos lojistas estava em guerra com o dos funcionários do comércio. Foi uma crônica esporádica que entrou no ar na Rádio Educativa. No ano seguinte vieram outras, com maior regularidade e que serão postadas neste blog.



Nenhum comentário: