quarta-feira, 28 de março de 2007

No Morumbi


Senti um calor repentino e percebi uma forte luz à minha frente. A reação foi imediata. Tirei os olhos do celular e mirei o horizonte. Era simplesmente um cogumelo de fogo e fumaça que surgia ao lado do palco. Foi a primeira de uma série de explosões fantásticas ao lado de Roger Waters, ali, na minha frente. Mas do que estou falando? As explosões começaram bem antes. Cada batida de coração durante aquele show era uma explosão. Só o meu explodiu 13,5 mil vezes em duas horas e meia. Contando a de todo mundo ali, algo em torno de 607,5 milhões de explosões. Roger Water merece esta homenagem.

3 comentários:

Cejunior disse...

Merece sim, meu caro amigo. E eu mereço uma paulada na cabeça por não ter ido ver o show. E dada por um PM bem revoltado com a vida...
Que inveja....

Mônica Montone disse...

É bom quando algo nos toma por completo, nos tira do eixo e deixa pra sempre uma sensação sem explicação, né?

beijos e boa semana, querido

MM

Lu Farias disse...

Ah, eu bem que queria ter ido... :-(((((

Beijão!!!