sábado, 5 de julho de 2014

Descoberta

Percebi, então, na noite insone,
Que não era mais indiferença
Nem prazer fugaz.
Era eu de novo menino
Seu corpo, agitado brinquedo 
A acabar-me com a paz.

Nenhum comentário: