sábado, 12 de julho de 2014

No tempo

Ao rever o tempo
Não sinta as dores q lhe causei
Não sinta a angústia da espera
Não sinta as horas tristes de volta 

Ao olhar atrás
Sinta a leveza da alma
O peso do corpo
A poesia de Caetano

Olhe atrás
Mas veja-me à sua frente
Mãos estendidas
Como antes

Veja-me o tempo que for
Como num abraço doído 
Num beijo infinito no prazer
No olhar meu que é seu

Nenhum comentário: